Ídolos Populares no CineCAL

No mês de fevereiro, o Cinema da Casa da Cultura da América Latina presta homenagem a ídolos populares que, durante anos, encantaram (e continuam encantando) os corações de fãs no mundo inteiro por meio de canções, performances e sucesso nas telas de cinema.Idealizada por Antonio Carlos Maranhão, coordenador do CineCAL, a mostra reúne filmes produzidos entre 1935 e 2013, de variadas vertentes. Alguns dos filmes celebram artistas ou comportamentos da época em que foram produzidos, caso de Somos tão jovens, Gonzaga - De pai pra filho e Nelson Gonçalves; outros funcionam como espaço de criação e perpetuação da celebridade tipo Joselito, ator e cantor espanhol, que teve seu apogeu artístico quando criança, que pode ser visto no Pequeno rouxinol, e Carlos Gardel, um dos grandes mitos latino-americano, no dramático El día  que me quieras.

O diamante cor de rosa serviu para popularizar  ainda mais ídolos que eram idolatrados por multidões de fãs, como Roberto Carlos, Wanderléia e Erasmo Carlos. Alô, alô, Terezinha fala do fenômeno de massa por meio  da trajetória de Chacrinha, um dos grandes comunicadores da tevê brasileira, e Viva São João mostra  a importância  das festas juninas no Brasil, tomando como ponto e partida uma turnê de Gilberto Gil que, ao longo do caminho, vai interagindo com outros artistas  da região Nordeste.
Marcados por fortes emoções, os filmes serão exibidos sempre às 12h30, no Auditório Gonzaguinha da CAL (SCS), com entrada franca.  
Programação
Dia 06 de fevereiro (quinta-feira)
Roberto Carlos e o diamante cor de rosa (Brasil). Direção de Roberto Farias, 1970, 100 min. Os cantores Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléia estão no Japão, quando esta última resolve comprar uma estatueta antiga. Imediatamente ela e seus companheiros começam a ser perseguidos por um homem misterioso que lidera uma quadrilha de lutadores orientais. Roberto e Erasmo vão para Israel, mas se desencontram de Wanderléia, que fica no Japão, cativa dos bandidos. Classificação 14 anos
Dia 11 de fevereiro (terça-feira)
El día que me quieras (Argentina-EUA). Direção de John Reinhardt, 1935, 82 min. Julio (Carlos Gardel), filho de uma família rica e cantor às escondidas, desafia secretamente a autoridade dos pais e se casa com uma atriz. Desprezado e sem emprego, com a esposa doente, decide roubar a casa de seu pai. Logo fica viúvo e se dedica a cantar, com sua filha, para ganhar a vida. Produção norte-americana filmada em Long Island (Nova Iorque), e realizada em espanhol. Classificação 14 anos
Dia 13 de fevereiro (quinta-feira)
O pequeno rouxinol (Espanha). Direção de Antonio del Amo, 1957, 98 min. Joselito (ator e cantor espanhol que teve seu apogeu quando criança), é um menino que vive com seu avô num pequeno povoado espanhol. Dedica-se a cantar na igreja nas cerimônias de batizados e casamentos, ajudando como coroinha. O sacristão da igreja enxerga-o como uma ‘galinha dos ovos de ouro’, e começa a explorá-lo. Classificação 14 anos
Dia 18 de fevereiro (terça-feira)
Alô, alô, Teresinha! (Brasil). Direção de Nelson Hoineff, 2008, 95 min. Documentário sobre o apresentador Abelardo Barbosa, o Chacrinha. O público verá Chacrinha jogando bacalhau para a plateia, soltando seus bordões, buzinando calouros ou até dando o famoso troféu abacaxi, e ainda apresentando os maiores ídolos da época como Roberto Carlos, Gilberto Gil, Wanderléia, Wanderley Cardoso, Gretchen, Sidney Magal e muitos outros. Classificação 12 anos
Dia 20 de fevereiro (quinta-feira)
Nelson Gonçalves (Brasil). Direção de Elizeu Ewald, 2001, 102 min. Ainda criança, o pequeno Nélson Gonçalves era levado por seu pai a praças e feiras para cantar. Ele cresce e passa a se dedicar à carreira de cantor, não sem antes possuir vários empregos fixos e até mesmo iniciar uma carreira profissional no boxe. Classificação 16 anos
Dia 25 de fevereiro (terça-feira)
Viva São João (Brasil). Direção de Andrucha Waddington, 2002, 82 min. Durante a turnê do cantor Gilberto Gil pelas festas juninas do Nordeste e Sudeste, em 2001, vários personagens, cantores e pessoas do público local são entrevistadas, fazendo sempre um paralelo sobre a história das festas de São João e sua importância para a comunidade local. Classificação Livre
Dia 27 de fevereiro (quinta-feira)
Gonzaga de pai pra filho (Brasil). Direção de Breno Silveira, 2012, 130 min. Baseada em conversas realizadas entre pai e filho, o filme aborda a história do cantor e sanfoneiro Luiz Gonzaga, também conhecido como O Rei do Baião ou Gonzagão, e de seu filho, popularmente chamado de Gonzaguinha. Classificação 12 anos
Entrada franca
Local: Auditório Gonzaguinha da CAL  (Térreo)
SCS Quadra 04, Edifício Anápolis. Telefone: 61 3321.5811
Hora12h30 e horário alternativo 15h30
Realização: CAL/DEX/UnB
Núcleo de Comunicação Social da CAL



Posts relacionados

0 comentários

Obrigada pela visita!!!