Programe-se: S’imbora-O Musical traz a Brasília a história do cantor Simonal

by - 18.11.15

Dono de uma das mais controversas histórias da música brasileira, Wilson Simonal está tendo a oportunidade de se reencontrar com seu público. O astro tem sua trajetória contada em S’imbora, o musical – a história de Wilson Simonal, um dos grandes sucessos do teatro em 2015, com vitoriosas temporadas no Rio de Janeiro e São Paulo. Em Brasília, o musical desembarca nos dias 27 e 28 de novembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Os ingressos variam de R$ 25 (Superior Popular-meia/1º lote) a R$ 140 (Front Gold-Meia/1º lote), disponíveis no site da Ingresso Rápido e na Central de Ingressos do Brasília Shopping (Piso G2).



Apesar de sua vida polêmica, Simonal tem uma obra atemporal, como comprova o sucesso do musical, que tem texto de Nelson Motta e Patrícia Andrade e direção de Pedro Brício. Com vivências de personagens ícones da Música Brasileira, como Jair Rodrigues em ‘Elis, a musical’, também da autoria de Nelson Motta e Patrícia Andrade; Ícaro Silva coleciona elogios da crítica com sua interpretação do cantor. O ator já se destacou ainda em ‘Rock´n´Rio – o musical’ e em espetáculos como ‘R & J de Shakespeare’.

Nelson Motta, Patrícia Andrade e Pedro Brício fizeram uma série de reuniões e trocaram muitas ideias até chegarem ao formato final do musical. “Queríamos descobrir que espetáculo queríamos fazer, o que focar na história do Simonal. Tem muitas atmosferas dramáticas, porque a vida dele foi assim. Fazemos um resgate do riquíssimo repertório dele, mostrando essa figura improvável, pobre, negro, que se tornou o maior astro popular do país, fazendo música de altíssima qualidade. Ele é um personagem único”, exalta Pedro.

O musical, contudo, não se furta a falar sobre a decadência de Simonal, condenado a um “exílio” involuntário, e toca nos temas polêmicos que cercaram a carreira do artista, sem tomar partido. “Ele é um mistério, não é um herói romântico, pelo contrário. É uma figura contraditória, com múltiplas facetas, mas a peça não faz um julgamento. O espetáculo tem essa riqueza, essa multiplicidade: vai da ascensão absoluta do primeiro artista negro pop à sua total decadência”, define o diretor. 

A turnê também passa por Belo Horizonte (16 a 18/10 – Palácio das Artes), Salvador (31/10 e 01/11 – Teatro Castro Alves) e São Paulo (05 a 14/11 – Teatro Hebraica).

Ascensão e queda de um astro
A trajetória de Simonal não encontra paralelos na história da música brasileira. A história é bastante comum do cotidiano das pessoas: um garoto pobre, que batalha muito para conseguir mostrar o seu talento. Mas, no momento em que foi descoberto por Carlos Imperial - personagem fundamental na história do futuro astro e narrador da peça -, ele explodiu. O Brasil inteiro cantou músicas como ‘Balanço Zona Sul’ (seu primeiro sucesso), ‘Sá Marina’, ‘País Tropical’, ‘Meu limão, meu limoeiro’, ‘Lobo bobo’, ‘Mamãe passou açúcar em mim’, todas presentes no roteiro do espetáculo.

Na década de 60, Simonal era um astro da televisão e do rádio e apontado por muitos como o maior cantor brasileiro, com público e crítica a seus pés. “Ele era um grande entertainer, contava piadas, dançava e dominava a plateia como nenhum artista do seu tempo, fazendo o Maracanãzinho lotado cantar como um coral em que ele era o maestro”, exalta Nelson.

Simonal passeou por todos os gêneros: cantou rock, calipso, bossa nova e samba, ajudou a criar a pilantragem e ainda inaugurou uma escola de canto no Brasil, reunindo, ao mesmo tempo, o cool da bossa nova, o suingue da música negra e uma notável potência vocal.

Entretanto, a década de 70, mudaria sua vida radicalmente. Pediu ajuda a amigos policiais (agentes do DOPS), que o sequestraram para que denunciasse quem o estava roubando na sua produtora. O episódio culminou na prisão do cantor, que, posteriormente, em uma cadeia de equívocos, foi acusado de delator a serviço da ditadura militar. Embora, nada nunca tenha sido provado, Simonal dizia que até torturadores e terroristas foram anistiados, menos ele, que se transformou em um morto-vivo e foi condenado a um ostracismo artístico até sua morte, em 2000.

Interpretado por Marino Rocha, o polêmico Carlos Imperial é o narrador do espetáculo. “Ele não é muito confiável, não sabe exatamente o que aconteceu, é um pouco como é a história, que é a narrativa. Li muito sobre o Simonal; A montagem tem o respeito de se manter dentro dos fatos, mas tem muita ficção”, ressalta Carlos.

Marília Carneiro concebeu mais de 250 figurinos para o espetáculo, em uma média de 17 por personagem, com exceção do próprio Simonal (que terá 12) e de Carlos Imperial, com três figurinos, além de uma dezena de perucas, usadas por todo o elenco.

A peça é também um importante panorama da política e sociedade brasileira da época. “Ela não apenas fala da história de um homem, mas sobre nosso país, como era nossa sociedade, não só em termos de preconceitos, mas de conflitos políticos. O que aconteceu com ele tem a ver com o período, talvez não tivesse acontecido em outro contexto histórico”, explica Pedro.

Planmusic
S´imbora, o musical – a história de Wilson Simonal marca a estreia da Planmusic na área de musicais. Dirigida por Luiz Oscar Niemeyer, a produtora tem entre suas realizações as turnês nacionais de Paul McCartney, o show dos Rolling Stones na Praia de Copacabana (que reuniu mais de 1,5 milhão de pessoas), além de grandes espetáculos internacionais, como Beyoncé, U2, Coldplay, Elton John, entre outros.

Serviço

S’imbora-O musical
Onde: Centro de Convenções Ulysses Guimarães- Auditório Máster
Quando: 27 de novembro (sexta-feira) às 21h30 e 28 de novembro (sábado), às 21h.
*Quanto:
SETOR

VALOR MEIA ENTRADA*
FRONT GOLD
 R$ 140,00
GOLD
 R$ 100,00
SETOR A
R$ 80,00
SETOR B
 R$ 70,00
LATERAL
 R$ 90,00
SUPERIOR
 R$ 50,00
SUPERIOR POPULAR
 R$  25,00
*Valores referente à meia entrada e sujeito à alteração sem prévio aviso.

Pontos de vendas:

Sem taxa de conveniência: Central de Ingressos – Brasília Shopping / piso G2
Com taxa de conveniência: FNAC (Parkshopping)

Vendas pela internet e call center: www.ingressorapido.com.br / e (61) 4003-1212
 Acessibilidade: Sim
Classificação indicativa: 12 anos

Descontos:

- Clientes Banco do Brasil com Ourocap ou clientes Brasilcap tem 50% de desconto. O desconto é válido para compras on line, de até 4 ingressos por CPF e limitados a 300 ingressos por sessão. A validação do desconto será por meio do CPF do cliente, após o cliente selecionar o ingresso com desconto para Ourocap e Brasilcap no sistema de compras.
Dúvidas: Central de atendimento da Brasilcap - 0800 7290800 ou no Fale Conosco do site (www.brasilcap.com).

- ATLAS SHINDLER (30% desconto para funcionários, venda SOMENTE NA BILHETERIA mediante apresentação do de crachá de identificação, limite para 2 ingressos por crachá - modelo em anexo)
- AVIANCA -  30% de desconto CARTÃO AMIGO e Funcionários, venda somente NA BILHETERIA
- Assinantes Correio Braziliense - 55% de desconto sobre o ingresso inteiro (limitado aos 200 primeiros. Após, 50%)
- Portadores do cartão Brasília Show – 50% sobre o ingresso inteiro (a ser impresso, gratuitamente, no www.ohartes.com.br)

Posts relacionados

0 comentários

Obrigada pela visita!!!